para todas as línguas

Pesquisar este blog

domingo, 12 de fevereiro de 2017

War Voices of Rock - as vozes que comandam o Rock/Metal amapaense!

Texto: Bruno Blackened
Fotos: Jéssica Alves e Ravel Amanajás
Edição: Ravel Amanajás

O cast do War Voices of Rock


O que você acha que acontece quando você reúne vocalistas talentosos, cada um mostrando seu jeito de cantar e interpretar? O resultado é uma (ou várias) verdadeira aula de técnica vocal e uma celebração ao Rock e ao Metal! Assim foi a primeira edição do War Voices of Rock, ocorrido na última sexta feira (10), no República Bar.

Hanna Paulino, da Hidrah.

Marcel Valkant, da Vennecy. Hard Rock é seu forte

Organizado por Marcel Valkant, Mateus Farro e Hanna Paulino, o evento teve como principal objetivo a confraternização entre os headbanguers, além de mostrar a versatilidade que os cantores convidados possuem, manter os artistas unidos, provando que a segregação é desnecessária e inútil.

Mateus Farro ministrando a masterclass


O Voices of Rock começou com Mateus Farro e sua masterclass sobre técnica vocal, começando pelo Metal Extremo e transitando pelo Metal Melódico, Pop Rock, entre outras vertentes. A cada música Mateus explicava a técnica usada para interpretá-la.


Depois da masterclass, Marcel e Hanna subiram ao palco para mostrarem o que sabem. Entre as bandas escolhidas para as demonstrações, estavam Disturbed, After Forever, Nightwish e Evanescence.

Bill Vilhena cantou Symphony of Destruction e The Final Countdown

Raiana Corecha, da Kairos, detonou em Overkill (Motorhead)

Adriano Bittencourt interpretou Imigrant Song, do Led Zeppelin

Seguiu-se a isso uma sucessão de cantores e cantoras, todos performáticos e habilidosos, representando bem as bandas na qual fazem parte e as vertentes que mais gostam. Cada um (ou dois, houveram duetos) mandou muito bem e mostrou que merece seu espaço na cena.

Tuga Teles cantou Aerials, do System of a Down


Beliza Alfaia em ação em Wasting Love, do Iron Maiden

Brenda Zeni cantou Rita Lee

O dueto de Ravel Amanajás e Hanna em Spread your Fire, do Angra

Defino o Voices of Rock com duas palavras: fraternidade e diversidade. Que venham mais eventos assim e, consequentemente, mais vocalistas participem e novos talentos sejam revelados!

Roots Bloody Roots é entoada por Maksuel Martins (Amatribo) e Fernanda Brasil (Morrigam)

Orielson Pantoja apresentou Painkiller, do Judas Priest, demonstrando impressionante vigor

Fernanda Brasil (Morrigam)

Michel Lawrence (Profetika) em ação: Lamb of God pra galera!

Ravel Amanajás (Keona Spirit). "Como um dragão, espalhe o fogo!"

Maksuel Martins (Amatribo)

Breno Sardhom (Sardhom e Carnnyvale) detonou em Angel of Death, do Slayer



sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Night Demon - Devastação Heavy Metal com os demônios da noite!

Texto: Bruno Blackened
Fotos: Jéssica Alves e Ravel Amanajás
Edição: Ravel Amanajás


Na terça última (31), o República Rock Bar sediou o Cerimonial Fest, que trouxe a Macapá a banda Night Demon diretamente do Estados Unidos. O trio está em turnê Sul Americana e a capital do Amapá foi uma das paradas da viagem.

All Star
Antes da headliner, houveram os shows dos grupos All Star e Sloth, ambos tocando somente covers de Iron Maiden, Metallica, Helloween, Guns n' Roses, Hammerfall, entre outras. Ótimas performances para anteceder a atração principal.

Sloth



À meia noite, Dusty Squires (bateria), Jarvis Leatherby (baixo e vocal) e Armand Anthony (guitarra) subiram ao palco e, depois de breve saudação, abriram o show com Screams in the Night, faixa de abertura do debut Curse of the Damned. Seguiram-se a esta faixas do mesmo disco e também do EP Night Demon, como Satan, Full Speed Ahead e a homônima Night Demon.



No meio da apresentação, o mascote da banda, um tipo de Ceifador Sinistro, apareceu e saudou a todos os headbanguers.


O trio é bastante performático. Além de empolgar os metalheads com seu som, também sabe atiçá-los com coros e presença de palco. Para encerrar o show, Wasted Years (cover do Iron Maiden).

Night Demon
Apresentação enérgica e eufórica. Assim foi o gig da Night Demon. Macapá e os metalheads agradecem!


quinta-feira, 21 de julho de 2016

Tocandira Ritual Fest é neste sábado

video
Por Jéssica Alves
DO G1 AP


A banda paulistana de thrash/death metal Torture Squad retorna a Macapá no dia 23 de julho para uma apresentação no Tocandira Ritual Fest. A noite terá ainda shows de 5 bandas amapaenses de metal e discotecagem. O evento vai iniciar às 19h, em um bar localizado no Centro da capital.

Formada em 1989, a Torture Squad lançou o primeiro álbum em 1998 e se consolidou como um dos maiores representantes brasileiros do metal extremo, tendo feito shows em diversos países europeus.

Com a saída do guitarrista e vocalista André Evaristo, dois novos integrantes foram recrutados para a Torture Squad: a cantora Mayara “Undead” Puertas e o guitarrista Renê Simionato. Eles se juntam ao baterista Amilcar Christófaro e ao baixista Castor para o show no Amapá. Esta é a segunda passagem da banda por Macapá; a primeira foi em 2011.



O Tocandira Ritual Fest terá os shows das bandas Keona Spirit, de heavy metal, Matinta Pereira, de deathcore, Amatribo e Carnnyvale, de thrash metal, e encerrando os shows locais, a banda Morrigam, de death metal.

Os ingressos antecipados estão sendo vendidos ao preço de R$ 20 em Macapá.

Serviço
Tocandira Ritual Fest com a banda Torture Squad
Data: 23 de julho
Local: Coffee Beer - Rua Binga Uchôa, 18 - Centro (próximo a Praça do Coco)
Hora: a partir das 19h
Ingressos: R$ 20 (antecipado)
Informações: (96) 98103-2109 / 98116-9717

quarta-feira, 22 de junho de 2016

"Cássia Eller - O Musical" será apresentado em Macapá

Nos dias 24, 25 e 26 de junho, será apresentado em Macapá o espetáculo 'Cássia Eller - O Musical'. A peça conta a história e carreira de uma das artistas mais aclamadas da música brasileira. Os ingressos estão sendo vendidos ao preço mínimo de R$ 40. O evento terá 4 sessões, no Teatro das Bacabeiras, no Centro da capital.

O espetáculo tem patrocínio do Banco do Brasil Seguridade e segundo a organização do evento, "Cássia Eller - O musical" conta a trajetória da cantora, desde os primeiros passos em Brasília até o reconhecimento nacional. O espetáculo também aborda as parcerias musicais, como a que a artista teve com o cantor e compositor Nando Reis, e também os relacionamentos amorosos, em especial, o vivido com Maria Eugênia, com quem criou o filho.

Com uma equipe de 19 pessoas, entre elas, sete atores e cinco músicos, o espetáculo já circula por todos os estados brasileiros. A produção do Rio de Janeiro tem texto de Patrícia Andrade e foi feita a partir de pesquisas e entrevistas com familiares e amigos de Cássia Eller.
O espetáculo de 2 horas terá todos os grandes sucessos da artista, que, com a voz rouca e estilo despojado, misturava o romantismo das letras com atitude rock and roll, conquistando fãs em todo o Brasil.

O roteiro passeia ainda pela criação autoral quase obscura de Cássia, como 'Flor do Sol', seguindo por canções que ficaram imortalizadas na voz dela, como 'Malandragem', que foi composta por Cazuza e Frejat.

O repertório do musical conta com mais de 30 canções. Entre elas, estão ‘Lanterna dos Afogados’, ‘Palavras ao Vento’, ‘Todo Amor que Houver nessa Vida’,  e ‘Que País é esse’, todas foram regravadas na voz de Cássia Eller.

A cantora é interpretada pela atriz e também cantora Tacy de Campos, escolhida entre mais de 1 mil candidatas que se inscreveram para as audições.

Serviço
Cássia Eller - O Musical
Data: 24, 25 e 26 de junho
Hora: dia 24, às 21h, dia 25 às 17h e 21h, e dia 26, às 19h
Local: Teatro das Bacabeiras
Ingressos: A partir de R$ 40
Posto de venda: Sorveteria Jesus de Nazaré e Teatro das Bacabeiras
Informações: (96) 3223-2650

segunda-feira, 20 de junho de 2016

TOCANDIRA RITUAL FEST II


Suindara Produções apresenta:

TOCANDIRA RITUAL FEST II

:::TORTURE SQUAD:::
Um dos ícones do METAL mundial, diretamente de São Paulo-SP

E mais...

-Morrigam (Death Metal Nativo)
-Carnnyvale (Thrash Metal)
-Amatribo (Thrash Metal)
-Matinta Perera (Folk Deathcore)
-Keona Spirit (Heavy Metal)
-Passinho Tech (Discotecagem)


►Data 23de Julho de 2016
►Local: Coffee Beer - Rua Binga Uchôa, 18 - Centro (próximo a Praça do Coco)
► Ingressos: R$ 20,00 - ANTECIPADO

INFORMAÇÕES:
96 98103-2109 / 98116-9717

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Norte Underground Fest


Neste sábado (11) ocorre mais uma edição do evento Norte Underground Fest, em Macapá. com a apresentação das bandas  RESTOS CARNAIS, HAMMER, EMPTY OF DARKNESS E SLOTH pra curtirmos o melhor do Metal! Até as 23 horas, cerveja ao preço de R$ 3.00 e Wifi Liberado!


Dia 11 de Junho!
Horário: 21: 00
Data: 11/ 06/ 2016
Local: Sintracom
Ingressos: R$ 10.00

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Iron Maiden em Brasília e a realização de sonhos de fãs


No dia 22 de março, a banda Iron Maiden se apresentou na cidade de Brasília, no Distrito Federal, com o 3º show da turnê The Book Of Souls no Brasil, encerrada em 26 de março em São Pulo. O blog OLHAR ALTERNATIVO acompanhou o emocionante show, que além de celebrar os clássicos da banda inglesa, apresentou o inédito trabalho lançado em 2015 e realizou o sonho de acompanhar de perto esta grande banda :)

No grande dia, desde cedo, milhares de fãs lotavam o entorno do estádio Nilson Nelson, palco do evento, Apreciadores não apenas da capital federal brasileira, mas de outros estados, a exemplo da equipe do blog, que saiu do Amapá para acompanhar o show, fãs do Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sul apareceram, com uma mistura de sotaques, expressões, mas a paixão pela banda era a mesma.



Os portões se abriram e iniciou a correria dos fãs para garantir o melhor lugar e acompanhar o Maiden em ação. Por volta das 19g, o ginásio foi tomado pela multidão. O primeiro show da banda The Raven Age, de George Harris, ninguém menos que o filho do patrão Steve, executar com bastante competência músicas como "Eye Among the Blind" e "Angel in Disgrace" que estão em seu primeiro EP. A apresentação não chegou a empolgar a plateia, mas foi respeitosamente assistida e aplaudida.


Em seguida, os fãs da banda Anthrax iniciaram a empolgação, e os veteranos do thrash/heavy metal chegaram quebrando tudo com a clássica "Caught in a Mosh", literalmente levantando o público na pista e nas arquibancadas. A pauleira continuou seguida de "Got the Time" e "Antisocial". As performances de Joe Belladonna e Scott Ian são impressionantes ao vivo, sobretudo nas excelentes "Medusa" e "Indians", com direito a referência ao Sepultura, pra alegria da galera. Um showzaço do começo ao fim,que ficou com gostinho de quero mais e ao mesmo tempo preparou bem o terreno para a atração principal.


Por volta das 21h20, "Doctor Doctor" do UFO ecoou por todo o Nilson Nelson, e todos sabiam que logo o Maiden estaria em ação. A intro nos telões levou o público ao êxtase e quando o vocalista Bruce Dickinson apareceu sozinho no palco, a plateia foi a loucura! A explosão de euforia com If Eternity Should Fail com a presença dos demais integrantes do Iron Maiden.


"Scream for Me Brasília" foi gritado pelo frontman Dickinson e em seguida, Speed of Light, single do novo album levanta o público.Impressionante é a palavra que pode resumir a performance do Iron Maiden, pois não é facil ter 40 anos de carreira e ser uma das bandas mais respeitadas no heavy metal mundial. Mas os caras são experientes no assunto e tomam conta do recado, fazendo um show para ningué, botar defeito.


O primeiro clássico da noite, Children Of The Damned, do álbum The Number Of The Beast foi cantada em coro pelo público. A banda segue privilegiando material do último álbum, a despeito da latente falta de renovação de seu público (média de idade na plateia era de 30 pra cima), mas empolga ao sacar "The Trooper", indiscutivelmente um dos pontos altos da noite. 



O trio de guitarras faz seu show à parte, no pacote, Janick Gers e seus malabarismos, Dave Murray e Adrian Smith com solos inspirados. A cozinha de Steve Harris e Niko McBrain sem comentários, perfeição de sempre. Com o público na mão, na sequencia final do show. o Iron mandou um clássico atrás do outro. O retorno de Hallowed Be Thy Name, a sempre empolgante Fear Of The Dark, com direito a um belíssimo e ensurdecedor coro dos cearenses, o incrível Big Eddie em Iron Maiden, as chamas de The Number Of The Beast, com direito a um Baphomet gigante, a sempre emocionante Blood Bothers e uma surpreendente Wasted Years fechando lindamente o show.







CONFIRA MAIS FOTOS NA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK 

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails