para todas as línguas

Pesquisar este blog

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Poetas Azuis realizam o novo espetáculo “Abra o Bico + Bagagem” nesta quinta-feira






O grupo Poetas Azuis realizam nesta quinta-feira (31) mais um encontro do lirismo da literatura com arte da música e poesia no novo espetáculo “Bagagem”. O evento ocorrerá no República Bar Vintage, às 20h. A novidade para este novo show é a maior interação com o público, em uma proposta inovadora.



A música e a poesia falada são os pontos fortes nas apresentações do Poetas Azuis, formado pelos artistas Pedro Stkls e Thiago Soeiro. O Azuis apresentarão dois recitais. “Abra o Bico”, que consiste em frases de efeito e músicas com base nos poemas do escritor goiano, Lucão e também apresentarão ao público o novo espetáculo, “Bagagem”, só com poemas de Adélia Prado.




“Serão dois momentos bem distintos para o público. Um bem alegre e outro mais introspectivo e tudo escolhido com muito cuidado e carinho que a poesia merece”, destaca o declamador e poeta Pedro Stkls. “Além dos poemas trazemos a forte presença da música em um trabalho totalmente autoral no repertório musical”, finaliza o declamador e poeta, Thiago Soeiro.

O grupo

Poetas Azuis é um projeto cultural idealizado pelos escritores Pedro Stkls e Thiago Soeiro. Criado em junho de 2012, com o objetivo de integrar a poesia falada à música, proporcionando uma interpretação poética em sonoridades criadas pelo musico Igor de Oliveira. Em um formato de pocket show as apresentações sempre contam com um lado romântico, saudosista e bem humorado.



Serviço

Local: República Bar Vintage
(Av. Vereador Orlando Pinto – 640 - Santa Rita)
Horário: 20h
Data: 31 de julho
Entrada: R$ 5,00
 

Cine Rock apresente: "Não Estou Lá"

 Fonte: Liberdade ao Rock

No sábado, 2 de agosto tem mais uma edição do projeto Cine Rock com o filme Não Estou Lá a partir das 19h na Praça da Bandeira.

Bob Dylan (Christian Bale / Cate Blanchett / Heath Ledger / Marcus Carl Franklin / Richard Gere / Ben Whishaw), ícone musical, poeta e porta-voz de uma geração. Sempre viveu em constante mutação ao longo da vida, especialmente durante os anos 60. Musicalmente, fisicamente, psicologicamente, as alterações do seu personagem público dialogaram com acontecimentos sociais e ocasionaram múltiplas repercussões culturais. De jovem menestrel a profeta folk, de poeta moderno a roqueiro, de ícone da contracultura a cristão renascido, de caubói solitário a popstar.

Samaúma das Palavras: um espaço livre e interativo com a leitura

Foto: Erich Macias

Jéssica Alves/Jornal do Dia

A leitura é algo indispensável no desenvolvimento de uma desde o momento em que começamos a conhecer ou a compreender o mundo que nos cerca, pois ela abre portas para a reflexão e o conhecimento. A importância da leitura esta na formação de cidadãos mais informativos e críticos dentro de uma sociedade.

Com o objetivo de incentivar a leitura entre os amapaenses, a direção do Museu Sacaca iniciou no dia 1º de julho o projeto Samaúma das Palavras, que proporciona aos participantes um espaço de liberdade e total interação com a leitura, voltado a propagação do som das palavras literárias e contações de histórias; leituras em voz alta ou silenciosas. Ao lado dela, um quiosque com livros foi montado para agradar a demanda do público de todas as idades.

A novidade desse espaço é que cada leitor poderá ler à sombra da samaumeira ou levar a obra para casa, deixando anotado o título do livro emprestado e o dia que terá de devolver. Não haverá bibliotecários, o conceito está em, justamente, desenvolver a consciência, a educação e a responsabilidade de cada leitor em retornar com os empréstimos dos livros. Doações de novas obras também acontecerão da mesma forma. Ao doar, cada um registrará no livro a sua doação.

“O projeto é voltado para todos os públicos, é recente e este espaço bem interativo onde o público pode fazer suas leituras a céu aberto. Nosso projeto é livre de regras e limitações que muitos encontram nas bibliotecas. Todas as pessoas podem participar e contribuir. A pessoa pode levar a leitura, trazer quando quiser, sem estipular, justamente para trabalhar a reflexão”, diz uma das coordenadoras do projeto Iana Duarte. Atualmente o acervo conta com 250 títulos, entre autores brasileiros, estrangeiros e escritores amapaenses.

 O projeto conta com a parceria da Feira do Livro do Amapá – Flap - e o Programa Nacional de Incentivo à Leitura no Amapá – Proler/AP, que iniciaram a  programação "Domingo de Poesia". Uma iniciativa, que ocorrerá a cada primeiro domingo do mês, para reunir poesia, contação de história e brincadeiras em sua programação.

O local dispõe de bancos, esteiras e um quiosque com títulos variados. “É um espaço criado pelos educandos do museu para integrar a cultura e a educação por meio da literatura, especialmente aos escritores locais e agora está sendo alimentado pelos apreciadores de leitura. Quem fizer fazer parte do projeto está livre para vir, que será enriquecido com a presença do público”, destaca Iana.

O policial militar Raimundo Nivaldo destaca a facilidade do projeto, que aumentará o incentivo á leitura entre os participantes. “Com isso eles colaboram para que as pessoas melhorem sua leitura, não apenas a leitura visual, com a televisão, internet e shows, mas a leitura literal. É um grande incentivo e essa facilidade em pegar um bom livro para ler e conhecer melhor a literatura mundial, nacional e local”, frisa.
Iana afirma que em agosto, o projeto firmará estreitamento de contato com escolas públicas e grupos comunitários da capital, levando atividades de lazer, jogos e declamação de poemas, teatros e contações de histórias.

Com funcionamento de terça a domingo de 10h às 18h, o Samaúma das Palavras, conta com um acervo de livros montados pela Flap e Proler, com parceria com algumas livrarias. Os visitantes podem emprestar livros e também fazer doações. Quem quiser doar pode procurar o escritório da Flap ou a direção do Museu Sacaca, em horário comercial.

terça-feira, 29 de julho de 2014

Festival de música traz atrações nacionais a Macapá


Andréa Maciel (colaboradora/Jornal do Dia)
 

Nos dia 1 e 2 de agosto será realizado o 1º Festival de Verão de Música no Meio do Mundo que trará, além das atrações locais e regionais, duas atrações nacionais, a banda Teatro Mágico e o cantor Jorge Aragão. A programação ocorrerá das 8h às 18h e das 18h à 0h, no Monumento Marco Zero do Equador e estacionamento do Sambódromo.

O Festival terá mais de 10 bandas locais realizando shows que visam a valorização da cultura amapaense e o trabalho dos artistas, bem como atrações regionais e nacionais. No dia 1º de agosto quem encerra a programação é a banda de MPB, indie rock e folk rock “O Teatro Mágico” e no dia 2 de agosto, haverá o show do sambista Jorge Aragão, para isso, será montada uma estrutura de shows no estacionamento do sambódromo.

Os dois dias de programação reunirão músicos, produtores, gestores, professores, estudantes e amantes de música, criando assim, um espaço aberto para discussão e apreciação da música em suas várias vertentes. Bem como workshops para os interessados em utilizar a música como ferramenta de inclusão social e de desenvolvimento cultural, social e econômico no Estado.

Para a estudante Amanda Queiroz, 23 anos, fã da banda O Teatro Mágico, o festival foi feliz em trazer essa atração, mas sem esquecer os artistas locais. “Muitas pessoas não tem dinheiro para sair do estado e ir conhecer essas atrações nacionais, portanto, trazê-las é ótimo, eu estou muito feliz em saber que uma das minhas bandas preferidas virá e fico contente em ver nossos artistas locais também”, alegra-se.

O projeto é executado pelo Instituto Municipal de Turismo (Macapatur), com toda a programação gratuita e de classificação livre. O público que desejar participar do workshop deverá inscrever-se através do site da prefeitura: www.macapa.ap.gov.br ou na sede do Macapatur, na Av. Rio Vila Nova, nº 5 – Centro, entre as ruas Tiradentes e São José, até o dia 30 de julho.



sábado, 26 de julho de 2014

Dia Mundial do Rock na Praça da Bandeira

Por Bruno Monteiro (colaborador)



No dia 19 de julho, como parte da programação do Macapá Verão, um evento em comemoração ao Dia Mundial do Rock ocorreu na Praça da Bandeira, lugar bastante conhecido pelas frequentes apresentações das bandas locais. A noite foi quente, porém estrelada, sem ameaças de chuva, o que contribuiu perfeitamente para que a praça ficasse cheia de metalheads ávidos por música pesada e agressiva. O Blog Olhar Alternativo acompanhou alguns momentos do evento.




A passagem de som ficou a cargo da super banda SARDHOM, o que deixou a plateia eufórica logo de cara, pensando que seria a primeira do evento, porém, engano. A banda só se apresentaria horas depois. Na apresentação do Dia Mundial do Rock, Bio Vilhena e seu conhecido grito “AAEEEEEHH!!!”. A estrutura de palco era grande, com som e iluminação ótimas. O único ponto negativo ficou por conta da imitação de gelo seco fedorenta e irritante que atrapalhava na hora das performances. Entre uma apresentação e outra, Bio premiava ou jogava para a galera baquetas, camisas ou correias.

 Depois de muito tempo sem pisar nos palcos, a banda CERIMONIAL SOMBRIO entra em cena para mostrar seu Symphonic/Gothic/Doom Metal, convidando os apreciadores do estilo a banguearem perto do palco (muitos deles adolescentes, com maquiagem preta e alguns usando sobretudo). Apesar do set curto, o grupo cumpriu bem seu papel, executando somente músicas autorais.








Hora do Rock n’ Roll! Com Mateus Farro e a banda Crossover, que tocou composições do QUEEN, lenda do rock britânico comandada pelo carismático e eterno Freddie Mercury. As músicas foram um verdadeiro banho de nostalgia tanto para os novatos quanto para os veteranos, que cantaram em uníssono o refrão de We are the Champions.



 Em seguida, tome-lhe Metal novamente com a banda PROFETIKA. A mesma apresentou composições do EP Serial Killer e algumas inéditas (entenda-se inéditas por músicas que ainda não foram gravadas oficialmente num disco). Início do Final, Mercenário, RainingBlood (SLAYER) e Serial Killer colocaram os banguers para festejar em frente ao palco, fazendo moshes o tempo inteiro e o famoso wallofdeath no início de Serial Killer.



 Pouco depois de pausa para troca de equipamentos, a HIDRAH sobe ao palco para mostrar seu conhecido e adorado do público Melodic/Power Metal. ReignofFire, Mankind, Another Way e DesertFields foram executadas e bastante apreciada pelos metalheads, junto com dois covers do IRON MAIDEN, FlightofIcarus e Aces High. Assim como todos os demais, ovacionado à exaustão pelo agora exaurido público.


 
Mas o evento ainda tinha uma lenha para queimar na forma de uma banda chamada SARDHOM. O mesmo é formado por músicos relativamente conhecidos na cena macapaense, como Breno (vocal, CARNNYVALE), Anderson (bateria, OPUS PROFANUS), Alessandro (guitarra, SUICÍDIO) e ??? (baixo, ???). A banda teve seu set prejudicado pela intervenção da polícia militar, que fez o Dia Mundial do Rock terminar mais cedo. Mesmo assim, Breno e cia. ainda tiveram tempo de mandar duas composições autorais e um cover do SEPULUTURA, Refuse/Resist, com participação de Tico Souza (vocal, MENTAL CAOS).


 As bandas estão de parabéns pelas performances e o público também, por curtir cada momento da celebração. O Heavy Metal e o Rock tem mostrado, através do tempo, que é mais do que um som. É um estilo de vida também e rompeu barreiras e fronteiras. Viva o Dia Mundial do Rock!!!


sábado, 19 de julho de 2014

Exposição Ocularis

 Fonte: Blog De Rocha


O projeto Ocularis lançado digitalmente no mês de junho deste ano saiu do mundo virtual para o real na Exposição Ocularis. O lançamento acontece no próximo sábado, 19, no Museu Sacaca, às 16h, especificamente na Casa de Vidro.

A ideia do “Ocularis” surgiu inspirado nas visões que temos diariamente e traduzimos em imagens, seja pela fotografia, desenho, colagem, etc. Na exposição, você encontrará os trabalhos de Ana Paula Rodrigues, Nágila Rocha, Ronaldo Costa, Alexandre Smith, Camila Karina,, Lúcio Costa Leite, Tami Martins, Edgar Edgar David, Karen Pimenta e Raehli Hage.

Convidamos você a fazer um novo passeio pelo mundo das imagens mais de perto!

A coletânea de imagens está disponível no endereço: 
http://issuu.com/camilakarina/docs/ocularis

Data: 19 de julho de 2014 ( sábado)
Hora: 16h
Local: Museu Sacaca ( Casa de Vidro)

Livro “Poesias Escolhidas” será lançado hoje em Macapá



Neste sábado (19) a produção independente Poesias Escolhidas realiza seu lançamento em Macapá, na Biblioteca Pública Elcy Lacerda, às 19h, com um Sarau, música, declamações e intervenções poéticas. O material é realização do poeta mineiro Rodrigo Ricardo, que convidou artistas do Brasil através de um grupo em uma rede social, chamado Libertária.

A produção independente Poesias Escolhidas vozes de uma alma, trata-se do primeiro volume de uma coletânea de poemas que reúne poetas das cinco regiões do Brasil. O Amapá está representado no livro, pela poetisa Mary Paes. A obra é dividida em três temas: Amor Romântico, Espiritualidade e Amor Erótico.
Mary Paes tem o seu estilo de poesias inspirado no amor erótico, com temas que envolvem a sensualidade, na qual publica diariamente em sua página na internet, dedicada à divulgação dos poemas que escreve.

“Para quem escreve, ver seu trabalho publicado é sempre uma realização. Quero publicar um livro só com poesias minhas, espero realizar esse sonho ainda este ano. Publicar um livro é muito gratificante”, disse Mary, que tem três poesias publicadas no livro “Poesias Escolhidas”, revela.

A programação conta com várias atrações, como declamações e intervenções poéticas com Rosa Rente, Cássia Modesto e o Grupo Tatamirô. Lara Utzig e as bandas Pássaros Cantam na Chuva e Poetas Azuis são as atrações musicais.

SERVIÇO

Lançamento do Livro Coletânea Poesias Escolhidas: Vozes de Uma Alma
Dia: 19/07/2014
Local: Biblioteca Pública Estadual Elcy Lacerda - Rua São José, 1800 - ao lado da Igreja São José – Centro - Macapá/AP
Hora: 19h

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Dia Mundial do Rock na Praça da Bandeira


Baterista Fernanda Terra realiza workshop em Macapá




 Com informações da Casca Grossa Produções

Em comemoração ao mês do Rock, a produtora amapaense Casca Grossa realiza neste sábado (19) realizar um workshop de bateria, com a presença da musicista paulista Fernanda Terra, que vem pela primeira vez à Macapá. Ela repassará aos participantes todo o conhecimento sobre o instrumento que toca há 22 anos.

A programação faz parte do DRM2 organizado pela produtora amapaense Casca Grossa e começa às 18h no Centro de Convenções Azevedo Picanço, no Centro de Macapá. Fernanda, que iniciou suas atividades musicais em 1992 se destaca no meio rock brasileiro por sua grande habilidade na bateria, quebrando o paradigma do mercado dominado por homens que tocam com as baquetas e pratos.


Em 92, foi morar em Brasília onde fez aulas com o Daniel Oliveira. Quando voltou pra São Paulo seus professores foram Duda neves, Lilian Carmona que introduziu a leitura rítmica e Dino verdade. A partir daí, a estrada se alongou, na qual Fernanda passou por varias bandas de hardcore e punk do underground brasileiro como Food 4Life, Baby Scream, hellas, Touching Lips, No Fashion, Final Fight, Gutter Cats, Lyrex e Nervosa, banda da qual foi a fundadora.

Influenciada por grandes nomes como Chad Smith, Dave lombardo, Terry Bozio, Vinnie Paul, Mitch Mitchell, John Bonhan, Keith Moon, Virgil Donati, , Jason Bittner, Samantha Maloney, além dos brasileiros, João Barone, Lilian Carmona, Duda Neves, Daniel Oliveira, Aquiles Priester, Dino Verdade, Vera Figueredo, Iggor Cavalera.


Atualmente toca com a banda de Extermina, ministra oficinas de bateria, colabora escrevendo exercícios de bateria pra revista Tom Tom Magazine (EUA) e leciona bateria no Instituto Everdream e na escola Lado B Musical.

Os ingressos para o workshop em Macapá estão sendo vendidos ao valor d R$ 20 na loja Amapanime Space e no bar Alô Gelada. No dia do evento, o valor passará para R$ 25 na portaria.

domingo, 13 de julho de 2014

Feliz Dia Mundial do Rock - filmes para você curtir


Como muitos sabem hoje é o Dia Mundial do Rock, data surgida no ano de 1985 quando o cantor e compositor irlandês Bob Geldof organizou um evento chamado Live Aid, que ocorreu simultaneamente na Inglaterra e nos Estados Unidos. O objetivo principal era manifestar o desejo pelo fim da fome na Etiópia.

O projeto contou com a presença de grandes artistas do Rock and roll. The Who, Led Zeppelin, Dire Straits, Queen, David Bowie, B.B. King, Mick Jagger, Sting, Scorpions, U2, Paul McCartney, Phil Collins foram alguns dos nomes que participaram da festa. Com o sucesso do encontro, o dia 13 de julho passou a ser conhecido como o Dia Mundial do Rock.

E para comemorar esta data tão especial para nós amantes do bom e velho estilo mais contestador da história da música, além de curtir os grandes clássicos, o blog Olhar Alternativo listou alguns filmes para você curtir nesse domingão, que possuem a grande essência do rock. Confira \,,/

10 - O Rockeiro




Com Rainn Wilson, Christina Applegate, Josh Gad, Emma Stone, Bradley Cooper, o longa mostra a história do ex-baterista Robert “Fish” Fishman (Wilson) que na década de 80 ficou famoso com a banda de hard rock Vesuvius. Tudo ia superbem e ele vivia como um grande astro do rock, até ser expulso do grupo e cair em decadência. Vinte anos depois, Fish ganha a chance de recomeçar a vida de músico tocando com seu sobrinho e outros adolescentes.



9 - Piratas do Rock


Grande comédia dirigida pelo neozelandês Richard Curtis (Simplesmente Amor), que reconta nas telonas como foi a revolução das rádios piratas britânicas nos anos 60. No filme, conhecemos um grupo de amigos que monta uma emissora e cria uma programação de rock 24 horas por dia. Com grandes sacadas de humor e uma boa dose de drama e romantismo, o filme conquista por apresentar a pura essência do rock nas suas raízes.


8 - Across The Universe


 Um filme que homenageia a banda de rock mais popular de todos os tempos, mas sem que ela sequer apareça nas telonas. Assim firma Across The Universe, que nos apresenta o mágico e tumultuado mundo dos anos 60, por meio dos olhos de Jude (Jim Sturgess) e Lucy (Evan Rachel Wood), com todas as batalhas da sociedade por um mundo melhor. O que impressiona neste trabalho dirigido por Julie Taymor (A Tempestade) são os perfeitos encaixes das músicas da famosa banda no roteiro.



7 - Rock and Roll High School


 Famoso filme dos anos 70 que retrata a Escola Vince Lombardi nunca mais será a mesma depois que Riff Randall (P. J. Soles), grande fã de rock n’ roll, introduzir na instituição o som de sua banda preferida, os Ramones. Para o desespero da diretora Miss Togar (Mary Woronov). Comédia garantida.


6 - Tenancious D



ComJack Black e Kyle Gass, eles representam JB e KG, que formam a banda Tenacious D e pretendem escrever seus nomes na história do Rock, mas logo percebem que isso não é tão simples assim. A dupla irá armar um plano infalível para roubar uma palheta mágica capaz de solucionar qualquer problema e assim serem reconhecidos mundialmente como astros do Rock.



5 - Quase Famosos



Um adolescente fã  de rock'n'roll consegue um trabalho na revista americana Rolling Stone para acompanhar a banda Stillwater em sua primeira excursão pelos Estados Unidos. Porém, quanto mais ele vai se envolvendo com a banda, mais vai perdendo a objetividade de seu trabalho e logo estará fazendo parte do cenário rock dos anos 70, conhecendo as maravilhas de depressões desde universo.



4 - Quanto Mais idiota Melhor - 1 e 2


Os headbangers  Wayne (Mike Myers) e Garth (Dana Carvey) produzem diretamente do porão um talk-show chamado “O Mundo de Wayne” e transmitiam para uma rede de tv local. O programa chama a atenção de um executivo de uma grande rede de televisão que tem o interesse de fazer uma versão de alto orçamento do “O Mundo de Wayne”. Na continuação, eles conseguem finalmente sair da casa dos pais, mas, não sabem bem o que querem fazer da vida. Isso até o dia que Wayne sonha com Jim Morrison  e interpreta aquilo como um sinal para montar um grande festival de música, o Waynestock, com a participação de grandes bandas.



3 - The Wonders - O sonho não acabou


Na Pensilvânia, às vésperas de uma apresentação, o baterista do grupo The Wonders quebra o braço, o que faz com que, em cima da hora, um jovem que trabalhava na loja de eletrodomésticos seja convidado para substituí-lo. O jovem baterista, um aficionado de jazz, imprime durante a apresentação uma batida mais ritmada no que deveria ser uma balada. Mas seu instinto funcionou e a música se torna sucesso nacional.



2 - Escola de Rock



  Após ser demitido da banda No Vacancy, Dewey Finn (Jack Black) para levantar uma grana, se passa como professor substituto em uma prestigiosa escola preparatória, mas, ao perceber o talento musical de seus alunos, decide montar uma banda com eles. Um dos filmes mais divertidos da carreira – de altos e baixos – do comediante Jack Black. Dirigido por Richard Linklater (Antes da Meia-Noite). Uma curiosidade é que a banda Led Zeppelin hesitou em liberar suas músicas para o longa. Por isso, o diretor filmou um apelo de Jack Black na frente de milhares de fãs implorando para que a banda permitisse a produção usar a canção Immigrant Song. O apelo deu certo!



1 - Rock Star


 Década de 1980, Chris Coles trabalha como vendedor em uma loja ao mesmo tempo em que é vocalista de uma banda cover de seu grupo de heavy metal predileto, o Steel Dragon. Até que sua vida muda por completo quando o vocalista da banda Steel Dragon é expulso do grupo e os demais integrantes o convidam para substituí-lo.No entanto, neste filme, dirigido por Stephen Herek, o fraco ator entende o seu personagem e transforma a obra numa das referências do rock no cinema. Na trama, um jovem descobre ter o dom de cantar e entra para o principal grupo de rock dos Estados Unidos, o que causa muitas transformações na sua vida pessoal. Vale destacar a atuação da atriz Jennifer Aniston na produção. 









Feliz Dia do Rock, leitores \,,/

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Dia Mundial do Rock leva onze bandas para a Praça da Bandeira


Em Macapá o Dia Mundial do Rock, comemorado no dia 13 de julho, será antecipado. A coordenação do Movimento Liberdade ao Rock divulgou uma programação especial que será realizada no sábado (12), na Praça da Bandeira, a partir das 16h, que contará com muita música, arte e esporte.

O movimento Liberdade ao Rock, que organiza a festa há 5 anos no Amapá, informou que antecipou a comemoração para coincidir com o sábado. Além das atrações musicais, haverá também pista livre de skate e intervenções de grafite durante o evento para todos os participantes.

Segundo Lucivaldo Rodrigues, um dos organizadores afirma que o movimento optou por antecipar a comemoração por questões de segurança, já que a data este ano vai coincidir com a final da Copa do Mundo de futebol. “Tradicionalmente comemoramos esse dia aos sábados. E, em 2014, o dia 13 coincide com a data final da Copa do Mundo. Pensando na segurança do público, mudamos para o sábado porque a cidade vai estar com várias pessoas nas ruas, e queremos evitar confusões”, disse.

Com uma estrutura mais organizada, o Movimento atualmente conta com as parcerias do Governo do Estado do Amapá (GEA), Amapanime Space, site Catraia Digital e Espaço Caos – Arte e Cultura.

Programação

-Bandas:
Profetika
My Betrayal
Desolation
Auto Lá
Invasores do Forte
Coturno Gasto
Mucambos
Overhaul
Reftime
Mc Doido
Nova Ordem
-Pista livre de Skate
-Grafite
-Discotecagem

Serviço

Dia Mundial do Rock no Amapá
Dia: 12 de julho
Hora: 16h
Local: Praça da Bandeira, Centro de Macapá

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Revista Poraké

Já viram?

Revista Poraké, idealizada pelo mente brilhante Rogério Inoue Araújo, que reuniu vários artistas amapaenses, em fotografia, desenhos e outras técnicas das artes visuais. A publicação online possui trabalhos de JJ Nunes, Moara Negreiros, Aline Pacheco Fellipe Fonseca, Carla Antunes e outros oito criativos colaboradores.

Feita em apenas quatro meses, segundo o idealizador, o projeto piloto visa catalogar talentos do Amapá para apresentar para gráficas ou outro tipo de empresas que se interessem em apoiar a publicação. O publico alvo varia entre estudantes de artes, designers, publicitários, agencias e empresas. O trabalho do Rogério e dos outros artistas vale a pena ser conferido

Para visualizar clique AQUI

terça-feira, 1 de julho de 2014

ZOMBIESTOCK 3: Mosh pit destruidor!

Foto: Camila Karina

Fonte: Blog Eu Sou do Norte

Olá Nação Headbanger que sempre está ligada nas “virações” do underground local. Mais uma vez o ESN esteve presente e registrando as movimentações da Cena. Neste ultimo sábado (28), rolou no Espaço CAOS mais um evento realizado pela Zombie Produções, desta vez, em parceria com o grupo AP Quadrinhos: ZOMBIESTOCK 3.

O line-up contou com as bandas locais Carnyvalle (Thrash Metal) e Visceral Slaughter (Death Metal/Grind), e também com os já quase amapaenses Warpath (Speed Thrash Metal) e Baixo Calão (Grindcore), vindos diretamente da Terra das Mangueiras (Belém-PA).

Seguindo a métrica... Vamos ao que interessa: Barulheira!

Saindo um pouco da ritualística de bandas “de fora” ficarem para o final... Os responsáveis pelas primeiras bangeadas foram os brothers do WARPATH (PA), o Power Trio formado por Marcio Breno, Danilo Leitão e William Peixoto mais uma vez se mantiveram na perfeição. Show coeso, ágil e voraz!

Entre um show e outro, também tínhamos a “banquinha banger” com vários merchans, como camisetas, CDs e caixa de fósforos (personalizada do Baixo Calão, item de luxo! haha), muita coisa para alimentar o acervo dos bangers locais.

VISCERAL SLAUGHTER foi a próxima a fazer o Espaço CAOS estremecer! A banda mostra a ótima fase de criação e produção. Além das composições de seu debut “Caedem”, a banda local também mostrou novas músicas que estarão em breve no próximo trabalho.

Logo após, mais uma representante do underground local:
CARNYVALLE, a banda conta com o carisma de seu frontman, Breno Sardhom, sempre bradando o orgulho de fazer Metal no Amapá. Mais uma vez um show marcado pela vivacidade, tanto da banda quanto do público, sempre fidelíssimo ao Thrash Metal. A 4ª e ultima banda a compor o line-up do evento foi a desgraceira do BAIXO CALÃO (PA), mosh pit comeu solto... Que digam os brothers que se atolaram na lama em decorrência da chuva no inicio do evento. Um show curtinho de baladas românticas como um soco na boca do estômago! Um verdadeiro zombiestock!

O ZOMBIESTOCK 3 foi uma realização Zombie Produções e grupo AP Quadrinhos, e contou com o apoio de Heron Dias, do Espaço CAOS, Xeniu’s Hotel, Na Base Skate Shop e Blog Eu Sou do Norte.

*Nota da autora

Meus caros leitores e amantes do underground, nossa função é FOMENTAR a Cena para que haja a expansão de nossas produções e de nossos profissionais.

É necessário frisar que fazer evento é coisa séria. A produção requer custos, tempo e muita dedicação. Então, é absurdamente INJUSTO o ato de barganhar o valor do ingresso na frente do evento. Não podemos permitir mais as famigeradas abordagens de pessoas impregnadas de discursos falidos sobre rock’n roll e “brodagem”.

Temos a consciência e o desejo de profissionalizar a Cena e, principalmente, vivenciamos a batalha de cada um que a compõe - Produtores, bandas e público - todos unidos em prol da cultura underground!

Valorização, JÁ!

FORÇA BANGER \m/

Hanna Paulino

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails